@movimento.accao.ecologica
  • No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
  • Vem conhecer-nos e dar-te a conhecer! 

Encontramo-nos no dia 18 de fevereiro, pelas 15 horas, junto do Lagar de Varas, na Alameda da Carvalha (Sertã)!
  • No contexto geográfico e territorial do nosso distrito, afigura-nos essencial promover o 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com 𝘵𝘰𝘥𝘰𝘴 𝘰𝘴 𝘤𝘢𝘯𝘥𝘪𝘥𝘢𝘵𝘰𝘴 𝘢 𝘥𝘦𝘱𝘶𝘵𝘢𝘥𝘰𝘴 𝘥𝘢 𝘈𝘴𝘴𝘦𝘮𝘣𝘭𝘦𝘪𝘢 𝘥𝘢 𝘙𝘦𝘱𝘶́𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢, cujos partidos possuem representação parlamentar. 

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, iremos debater questões relacionadas com floresta, recursos e sustentabilidade. O evento tem lugar no dia 𝟭𝟳 𝗱𝗲 𝗳𝗲𝘃𝗲𝗿𝗲𝗶𝗿𝗼, com início às 𝟭𝟱 𝗵𝗼𝗿𝗮𝘀. Será 𝒈𝒓𝒂𝒕𝒖𝒊𝒕𝒐 e 𝒂𝒃𝒆𝒓𝒕𝒐 a todo o público. 

Esperamos que este debate possa contribuir para uma melhor decisão política no ato eleitoral e para um verdadeiro compromisso partidário com a proteção e valorização do espaço florestal que nos rodeia, bem como com a sustentabilidade da exploração de recursos naturais.
  • “The Village of Lovers” na Casa de Gigante no 14/02 

O documentário trata dos relacionamentos amorosos e do impacto desses na relação com a terra. Este tema alinha-se com a missão do Movimento de Acção Ecológica no aspeto de relembrar aos humanos da relação de simbiose com a Natureza.

A escolha de apresentá-lo no 14/02 (dia dos Namorados) propõe uma visão completamente alternativa, mais solidária, humana, ativista e ecológica das relações amorosas.

Após a projeção, o bar estará aberto, para se poder comentar o filme em volta de um copo.
  • Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
  • O Movimento de Acção Ecológica tem o prazer de anunciar o nascimento formal da nossa 𝗔𝘀𝘀𝗼𝗰𝗶𝗮𝗰̧𝗮̃𝗼. 

Com o fim de 𝒅𝒂𝒓 𝒗𝒐𝒛 𝒂̀ 𝑵𝒂𝒕𝒖𝒓𝒆𝒛𝒂 𝒅𝒂 𝒛𝒐𝒏𝒂 𝒅𝒐 𝒑𝒊𝒏𝒉𝒂𝒍, 𝒑𝒓𝒐𝒎𝒐𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒖𝒎𝒂 𝒗𝒊𝒗𝒆̂𝒏𝒄𝒊𝒂 𝒆𝒎 𝒔𝒊𝒎𝒃𝒊𝒐𝒔𝒆 𝒆𝒏𝒕𝒓𝒆 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂𝒔 𝒆 𝒏𝒂𝒕𝒖𝒓𝒆𝒛𝒂, esta Associação procura promover uma floresta nativa e biodiversa; proteger os rios; promover o consumo local e economia circular; relembrar os humanos da relação de simbiose com a natureza; trazer para o presente a memória coletiva das gentes da terra; zelar pelo meio ambiente, utilizando estratégias que envolvam as pessoas da zona do pinhal; e promover a descarbonização da sociedade local.

𝑆𝑒 𝑡𝑎𝑚𝑏𝑒́𝑚 𝑡𝑢 𝑝𝑟𝑜𝑐𝑢𝑟𝑎𝑠 𝑝𝑟𝑜𝑡𝑒𝑔𝑒𝑟 𝑒 𝑙𝑖𝑔𝑎𝑟-𝑡𝑒 𝑎̀ 𝑁𝑎𝑡𝑢𝑟𝑒𝑧𝑎, entra em contacto connosco e torna-te associado!
  • Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
  • Ontem foi assim na Sertã,  cerca de 30 pessoas de varias faixas etárias mostraram-nos que o interior não está  tão  isolado como parece, pois à vila da Sertã apareceram gentes de Proença-a-Nova, Alvaiázere, Pedrogão Pequeno, Graça, Castanheira de Pêra,  Tomar, Vila Velha de Rodão e Sertã.
 
Por entre palavras de ordem, gritadas ao vento e conversas de escada na Câmara Municipal, entendemos a necessidade de reinventar uma outra ligação à floresta ea à Natureza que possa ser económica,  mas nunca exploratória, que seja de valor mas nunca em monocultura, que seja pelos nossos antepassados, por nós e pelas gerações vindouras.
 
Eucaliptugal - Não, obrigado
  • Apoiamos o 𝐏𝐫𝐨𝐭𝐞𝐬𝐭𝐨 𝐩𝐞𝐥𝐚 𝐅𝐥𝐨𝐫𝐞𝐬𝐭𝐚 𝐝𝐨 𝐅𝐮𝐭𝐮𝐫𝐨, organizado por um grupo de cidadãos de várias origens e formações, que pretendem chamar a atenção para “o impacto da monocultura do eucalipto e a indústria da celulose” nos incêndios em Portugal. 

Dia 3, junta-te ao Protesto na 𝐴𝑙𝑎𝑚𝑒𝑑𝑎 𝑑𝑎 𝐶𝑎𝑟𝑣𝑎𝑙ℎ𝑎! Há também ações em Lisboa, no Porto, em Coimbra, em Odemira e em Vila Nova de Poiares, caso estejas noutro ponto do país. 

Estaremos a lutar pelo nosso futuro, pelo futuro da Floresta e do Interior. Aparece! ✊

#florestadofuturo #eucaliptoéfogo
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar.

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões  apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. 

O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
No passado sábado, 17 de fevereiro, a MAE teve o gosto de organizar um 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com todos os candidatos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco à AR, cujos partidos possuem representação parlamentar. Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, foram debatidos temas relacionados com floresta, recursos e sustentabilidade. As questões apresentadas aos partidos políticos relacionaram-se com a incidência de incêndios florestais na região; a remuneração adequada dos serviços que as florestas prestam à sociedade; a remoção de infraestruturas hidráulicas obsoletas e a construção de transvases; e ainda o desenvolvimento de incentivos financeiros (incluindo fiscais) para classificação de áreas protegidas privadas ou de caráter regional/local. Apesar das diferentes visões estratégicas apresentadas, percebemos que é unanimidade a necessidade de valorização do espaço florestal e agrícola existente. O evento foi recebido de forma muito favorável pelo público presente, que não faltou ao apelo de participação. Agradecemos a presença, o interesse e o entusiasmo demonstrado por todos os participantes.
1 semana ago
View on Instagram |
1/9
Vem conhecer-nos e dar-te a conhecer! 

Encontramo-nos no dia 18 de fevereiro, pelas 15 horas, junto do Lagar de Varas, na Alameda da Carvalha (Sertã)!
Vem conhecer-nos e dar-te a conhecer! 

Encontramo-nos no dia 18 de fevereiro, pelas 15 horas, junto do Lagar de Varas, na Alameda da Carvalha (Sertã)!
Vem conhecer-nos e dar-te a conhecer! Encontramo-nos no dia 18 de fevereiro, pelas 15 horas, junto do Lagar de Varas, na Alameda da Carvalha (Sertã)!
3 semanas ago
View on Instagram |
2/9
No contexto geográfico e territorial do nosso distrito, afigura-nos essencial promover o 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com 𝘵𝘰𝘥𝘰𝘴 𝘰𝘴 𝘤𝘢𝘯𝘥𝘪𝘥𝘢𝘵𝘰𝘴 𝘢 𝘥𝘦𝘱𝘶𝘵𝘢𝘥𝘰𝘴 𝘥𝘢 𝘈𝘴𝘴𝘦𝘮𝘣𝘭𝘦𝘪𝘢 𝘥𝘢 𝘙𝘦𝘱𝘶́𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢, cujos partidos possuem representação parlamentar. 

Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, iremos debater questões relacionadas com floresta, recursos e sustentabilidade. O evento tem lugar no dia 𝟭𝟳 𝗱𝗲 𝗳𝗲𝘃𝗲𝗿𝗲𝗶𝗿𝗼, com início às 𝟭𝟱 𝗵𝗼𝗿𝗮𝘀. Será 𝒈𝒓𝒂𝒕𝒖𝒊𝒕𝒐 e 𝒂𝒃𝒆𝒓𝒕𝒐 a todo o público. 

Esperamos que este debate possa contribuir para uma melhor decisão política no ato eleitoral e para um verdadeiro compromisso partidário com a proteção e valorização do espaço florestal que nos rodeia, bem como com a sustentabilidade da exploração de recursos naturais.
No contexto geográfico e territorial do nosso distrito, afigura-nos essencial promover o 𝗱𝗲𝗯𝗮𝘁𝗲 𝗽𝗼𝗹𝗶́𝘁𝗶𝗰𝗼 sobre ecologia e floresta com 𝘵𝘰𝘥𝘰𝘴 𝘰𝘴 𝘤𝘢𝘯𝘥𝘪𝘥𝘢𝘵𝘰𝘴 𝘢 𝘥𝘦𝘱𝘶𝘵𝘢𝘥𝘰𝘴 𝘥𝘢 𝘈𝘴𝘴𝘦𝘮𝘣𝘭𝘦𝘪𝘢 𝘥𝘢 𝘙𝘦𝘱𝘶́𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢, cujos partidos possuem representação parlamentar. Com o apoio do Centro de Ciência Viva da Floresta, iremos debater questões relacionadas com floresta, recursos e sustentabilidade. O evento tem lugar no dia 𝟭𝟳 𝗱𝗲 𝗳𝗲𝘃𝗲𝗿𝗲𝗶𝗿𝗼, com início às 𝟭𝟱 𝗵𝗼𝗿𝗮𝘀. Será 𝒈𝒓𝒂𝒕𝒖𝒊𝒕𝒐 e 𝒂𝒃𝒆𝒓𝒕𝒐 a todo o público. Esperamos que este debate possa contribuir para uma melhor decisão política no ato eleitoral e para um verdadeiro compromisso partidário com a proteção e valorização do espaço florestal que nos rodeia, bem como com a sustentabilidade da exploração de recursos naturais.
3 semanas ago
View on Instagram |
3/9
“The Village of Lovers” na Casa de Gigante no 14/02 

O documentário trata dos relacionamentos amorosos e do impacto desses na relação com a terra. Este tema alinha-se com a missão do Movimento de Acção Ecológica no aspeto de relembrar aos humanos da relação de simbiose com a Natureza.

A escolha de apresentá-lo no 14/02 (dia dos Namorados) propõe uma visão completamente alternativa, mais solidária, humana, ativista e ecológica das relações amorosas.

Após a projeção, o bar estará aberto, para se poder comentar o filme em volta de um copo.
“The Village of Lovers” na Casa de Gigante no 14/02 O documentário trata dos relacionamentos amorosos e do impacto desses na relação com a terra. Este tema alinha-se com a missão do Movimento de Acção Ecológica no aspeto de relembrar aos humanos da relação de simbiose com a Natureza. A escolha de apresentá-lo no 14/02 (dia dos Namorados) propõe uma visão completamente alternativa, mais solidária, humana, ativista e ecológica das relações amorosas. Após a projeção, o bar estará aberto, para se poder comentar o filme em volta de um copo.
4 semanas ago
View on Instagram |
4/9
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica  juntou-se ao  https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio  micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
Apesar da ausência de chuva das últimas semanas, o Movimento de Acção Ecológica juntou-se ao https://www.facebook.com/pachamamatapasbar, para mais um passeio micológico onde apesar do tempo seco conseguimos apanhar diversos cantarelus e hidnum repandum, que originaram um delicioso jantar.
1 mês ago
View on Instagram |
5/9
O Movimento de Acção Ecológica tem o prazer de anunciar o nascimento formal da nossa 𝗔𝘀𝘀𝗼𝗰𝗶𝗮𝗰̧𝗮̃𝗼. 

Com o fim de 𝒅𝒂𝒓 𝒗𝒐𝒛 𝒂̀ 𝑵𝒂𝒕𝒖𝒓𝒆𝒛𝒂 𝒅𝒂 𝒛𝒐𝒏𝒂 𝒅𝒐 𝒑𝒊𝒏𝒉𝒂𝒍, 𝒑𝒓𝒐𝒎𝒐𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒖𝒎𝒂 𝒗𝒊𝒗𝒆̂𝒏𝒄𝒊𝒂 𝒆𝒎 𝒔𝒊𝒎𝒃𝒊𝒐𝒔𝒆 𝒆𝒏𝒕𝒓𝒆 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂𝒔 𝒆 𝒏𝒂𝒕𝒖𝒓𝒆𝒛𝒂, esta Associação procura promover uma floresta nativa e biodiversa; proteger os rios; promover o consumo local e economia circular; relembrar os humanos da relação de simbiose com a natureza; trazer para o presente a memória coletiva das gentes da terra; zelar pelo meio ambiente, utilizando estratégias que envolvam as pessoas da zona do pinhal; e promover a descarbonização da sociedade local.

𝑆𝑒 𝑡𝑎𝑚𝑏𝑒́𝑚 𝑡𝑢 𝑝𝑟𝑜𝑐𝑢𝑟𝑎𝑠 𝑝𝑟𝑜𝑡𝑒𝑔𝑒𝑟 𝑒 𝑙𝑖𝑔𝑎𝑟-𝑡𝑒 𝑎̀ 𝑁𝑎𝑡𝑢𝑟𝑒𝑧𝑎, entra em contacto connosco e torna-te associado!
O Movimento de Acção Ecológica tem o prazer de anunciar o nascimento formal da nossa 𝗔𝘀𝘀𝗼𝗰𝗶𝗮𝗰̧𝗮̃𝗼. 

Com o fim de 𝒅𝒂𝒓 𝒗𝒐𝒛 𝒂̀ 𝑵𝒂𝒕𝒖𝒓𝒆𝒛𝒂 𝒅𝒂 𝒛𝒐𝒏𝒂 𝒅𝒐 𝒑𝒊𝒏𝒉𝒂𝒍, 𝒑𝒓𝒐𝒎𝒐𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒖𝒎𝒂 𝒗𝒊𝒗𝒆̂𝒏𝒄𝒊𝒂 𝒆𝒎 𝒔𝒊𝒎𝒃𝒊𝒐𝒔𝒆 𝒆𝒏𝒕𝒓𝒆 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂𝒔 𝒆 𝒏𝒂𝒕𝒖𝒓𝒆𝒛𝒂, esta Associação procura promover uma floresta nativa e biodiversa; proteger os rios; promover o consumo local e economia circular; relembrar os humanos da relação de simbiose com a natureza; trazer para o presente a memória coletiva das gentes da terra; zelar pelo meio ambiente, utilizando estratégias que envolvam as pessoas da zona do pinhal; e promover a descarbonização da sociedade local.

𝑆𝑒 𝑡𝑎𝑚𝑏𝑒́𝑚 𝑡𝑢 𝑝𝑟𝑜𝑐𝑢𝑟𝑎𝑠 𝑝𝑟𝑜𝑡𝑒𝑔𝑒𝑟 𝑒 𝑙𝑖𝑔𝑎𝑟-𝑡𝑒 𝑎̀ 𝑁𝑎𝑡𝑢𝑟𝑒𝑧𝑎, entra em contacto connosco e torna-te associado!
O Movimento de Acção Ecológica tem o prazer de anunciar o nascimento formal da nossa 𝗔𝘀𝘀𝗼𝗰𝗶𝗮𝗰̧𝗮̃𝗼. Com o fim de 𝒅𝒂𝒓 𝒗𝒐𝒛 𝒂̀ 𝑵𝒂𝒕𝒖𝒓𝒆𝒛𝒂 𝒅𝒂 𝒛𝒐𝒏𝒂 𝒅𝒐 𝒑𝒊𝒏𝒉𝒂𝒍, 𝒑𝒓𝒐𝒎𝒐𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒖𝒎𝒂 𝒗𝒊𝒗𝒆̂𝒏𝒄𝒊𝒂 𝒆𝒎 𝒔𝒊𝒎𝒃𝒊𝒐𝒔𝒆 𝒆𝒏𝒕𝒓𝒆 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂𝒔 𝒆 𝒏𝒂𝒕𝒖𝒓𝒆𝒛𝒂, esta Associação procura promover uma floresta nativa e biodiversa; proteger os rios; promover o consumo local e economia circular; relembrar os humanos da relação de simbiose com a natureza; trazer para o presente a memória coletiva das gentes da terra; zelar pelo meio ambiente, utilizando estratégias que envolvam as pessoas da zona do pinhal; e promover a descarbonização da sociedade local. 𝑆𝑒 𝑡𝑎𝑚𝑏𝑒́𝑚 𝑡𝑢 𝑝𝑟𝑜𝑐𝑢𝑟𝑎𝑠 𝑝𝑟𝑜𝑡𝑒𝑔𝑒𝑟 𝑒 𝑙𝑖𝑔𝑎𝑟-𝑡𝑒 𝑎̀ 𝑁𝑎𝑡𝑢𝑟𝑒𝑧𝑎, entra em contacto connosco e torna-te associado!
1 mês ago
View on Instagram |
6/9
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁

Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
Para cuidar é necessário conhecer. Conhecer uma parte da Natureza foi o que nos juntou no passado sábado. Num lugar outrora usado para agricultura e hoje devolvido á Natureza, fomos recolher alimento para o corpo e a alma. No nosso terceiro Passeio Micológico, desta vez em parceria com o @pachamamapt, fomos a um vale encanto, situado em Pedrógão Grande, em busca dos belos e deliciosos cogumelos silvestres. 🍂🍄🍁 Próximo passeio: 9 de dezembro! ⚠️
4 meses ago
View on Instagram |
7/9
Ontem foi assim na Sertã,  cerca de 30 pessoas de varias faixas etárias mostraram-nos que o interior não está  tão  isolado como parece, pois à vila da Sertã apareceram gentes de Proença-a-Nova, Alvaiázere, Pedrogão Pequeno, Graça, Castanheira de Pêra,  Tomar, Vila Velha de Rodão e Sertã.
 
Por entre palavras de ordem, gritadas ao vento e conversas de escada na Câmara Municipal, entendemos a necessidade de reinventar uma outra ligação à floresta ea à Natureza que possa ser económica,  mas nunca exploratória, que seja de valor mas nunca em monocultura, que seja pelos nossos antepassados, por nós e pelas gerações vindouras.
 
Eucaliptugal - Não, obrigado
Ontem foi assim na Sertã,  cerca de 30 pessoas de varias faixas etárias mostraram-nos que o interior não está  tão  isolado como parece, pois à vila da Sertã apareceram gentes de Proença-a-Nova, Alvaiázere, Pedrogão Pequeno, Graça, Castanheira de Pêra,  Tomar, Vila Velha de Rodão e Sertã.
 
Por entre palavras de ordem, gritadas ao vento e conversas de escada na Câmara Municipal, entendemos a necessidade de reinventar uma outra ligação à floresta ea à Natureza que possa ser económica,  mas nunca exploratória, que seja de valor mas nunca em monocultura, que seja pelos nossos antepassados, por nós e pelas gerações vindouras.
 
Eucaliptugal - Não, obrigado
Ontem foi assim na Sertã,  cerca de 30 pessoas de varias faixas etárias mostraram-nos que o interior não está  tão  isolado como parece, pois à vila da Sertã apareceram gentes de Proença-a-Nova, Alvaiázere, Pedrogão Pequeno, Graça, Castanheira de Pêra,  Tomar, Vila Velha de Rodão e Sertã.
 
Por entre palavras de ordem, gritadas ao vento e conversas de escada na Câmara Municipal, entendemos a necessidade de reinventar uma outra ligação à floresta ea à Natureza que possa ser económica,  mas nunca exploratória, que seja de valor mas nunca em monocultura, que seja pelos nossos antepassados, por nós e pelas gerações vindouras.
 
Eucaliptugal - Não, obrigado
Ontem foi assim na Sertã,  cerca de 30 pessoas de varias faixas etárias mostraram-nos que o interior não está  tão  isolado como parece, pois à vila da Sertã apareceram gentes de Proença-a-Nova, Alvaiázere, Pedrogão Pequeno, Graça, Castanheira de Pêra,  Tomar, Vila Velha de Rodão e Sertã.
 
Por entre palavras de ordem, gritadas ao vento e conversas de escada na Câmara Municipal, entendemos a necessidade de reinventar uma outra ligação à floresta ea à Natureza que possa ser económica,  mas nunca exploratória, que seja de valor mas nunca em monocultura, que seja pelos nossos antepassados, por nós e pelas gerações vindouras.
 
Eucaliptugal - Não, obrigado
Ontem foi assim na Sertã,  cerca de 30 pessoas de varias faixas etárias mostraram-nos que o interior não está  tão  isolado como parece, pois à vila da Sertã apareceram gentes de Proença-a-Nova, Alvaiázere, Pedrogão Pequeno, Graça, Castanheira de Pêra,  Tomar, Vila Velha de Rodão e Sertã.
 
Por entre palavras de ordem, gritadas ao vento e conversas de escada na Câmara Municipal, entendemos a necessidade de reinventar uma outra ligação à floresta ea à Natureza que possa ser económica,  mas nunca exploratória, que seja de valor mas nunca em monocultura, que seja pelos nossos antepassados, por nós e pelas gerações vindouras.
 
Eucaliptugal - Não, obrigado
Ontem foi assim na Sertã, cerca de 30 pessoas de varias faixas etárias mostraram-nos que o interior não está tão isolado como parece, pois à vila da Sertã apareceram gentes de Proença-a-Nova, Alvaiázere, Pedrogão Pequeno, Graça, Castanheira de Pêra, Tomar, Vila Velha de Rodão e Sertã. Por entre palavras de ordem, gritadas ao vento e conversas de escada na Câmara Municipal, entendemos a necessidade de reinventar uma outra ligação à floresta ea à Natureza que possa ser económica, mas nunca exploratória, que seja de valor mas nunca em monocultura, que seja pelos nossos antepassados, por nós e pelas gerações vindouras. Eucaliptugal – Não, obrigado
6 meses ago
View on Instagram |
8/9
Apoiamos o 𝐏𝐫𝐨𝐭𝐞𝐬𝐭𝐨 𝐩𝐞𝐥𝐚 𝐅𝐥𝐨𝐫𝐞𝐬𝐭𝐚 𝐝𝐨 𝐅𝐮𝐭𝐮𝐫𝐨, organizado por um grupo de cidadãos de várias origens e formações, que pretendem chamar a atenção para “o impacto da monocultura do eucalipto e a indústria da celulose” nos incêndios em Portugal. 

Dia 3, junta-te ao Protesto na 𝐴𝑙𝑎𝑚𝑒𝑑𝑎 𝑑𝑎 𝐶𝑎𝑟𝑣𝑎𝑙ℎ𝑎! Há também ações em Lisboa, no Porto, em Coimbra, em Odemira e em Vila Nova de Poiares, caso estejas noutro ponto do país. 

Estaremos a lutar pelo nosso futuro, pelo futuro da Floresta e do Interior. Aparece! ✊

#florestadofuturo #eucaliptoéfogo
Apoiamos o 𝐏𝐫𝐨𝐭𝐞𝐬𝐭𝐨 𝐩𝐞𝐥𝐚 𝐅𝐥𝐨𝐫𝐞𝐬𝐭𝐚 𝐝𝐨 𝐅𝐮𝐭𝐮𝐫𝐨, organizado por um grupo de cidadãos de várias origens e formações, que pretendem chamar a atenção para “o impacto da monocultura do eucalipto e a indústria da celulose” nos incêndios em Portugal. Dia 3, junta-te ao Protesto na 𝐴𝑙𝑎𝑚𝑒𝑑𝑎 𝑑𝑎 𝐶𝑎𝑟𝑣𝑎𝑙ℎ𝑎! Há também ações em Lisboa, no Porto, em Coimbra, em Odemira e em Vila Nova de Poiares, caso estejas noutro ponto do país. Estaremos a lutar pelo nosso futuro, pelo futuro da Floresta e do Interior. Aparece! ✊ #florestadofuturo #eucaliptoéfogo
6 meses ago
View on Instagram |
9/9

©2024 M -MAE

Proudly Powered by WordPress